Veja também O mundo inteiro em:
http://naiane-julie2.blogspot.com

domingo, 3 de janeiro de 2016

Como o trem, como o tempo




O trens são como a linha do tempo
Tão constantes e sempre em frente
São como o vento, e agora
Esse trem é como a vida
que deixamos para trás
e que não voltará mais.

Como será bonita a lembrança quase sonho
que um dia teremos
Ela ficará tão ofuscada pelo tempo
que ficará difícil distingui- la
dos devaneios.
Como o trem, como o tempo...

03/01/2016

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Criança livre



Um dia nós fomos livres
Livres à nossa maneira
Como duas crianças
que falavam sobre tudo
o que ainda não haviam vivido.

Agora que já vivi um pouco
ainda preciso falar sobre tudo
o que não entendo
(que é quase tudo).
Mas já não sou mais tão livre
A liberdade estava condicionada
À sua presença
E ao fazer entender muito melhor do que eu,
a mim mesma.




sábado, 28 de novembro de 2015

Espio

google imagens


Estive à espreita
daquela fresta da vida
onde se realoca sonhos
e não se frusta a cada partida

O amargo é doce no papel
o anoitecer é lento no papel
A dor é sangue
entre todas as fortalezas
e frestas
Espio.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

O que você quer?


 

         É mais difícil do que imaginava encontrar a resposta a essa pergunta. Talvez esteja presa em uma única palavra que ainda não foi descoberta em nenhuma língua existente. Eu tento algumas... eu quero LIBERDADE! Eu quero... AMOR (DE VERDADE!)... E quero QUE EXISTA UMA RAZÃO CLARA PARA TUDO. .. Mas eu também quero TRANSCENDÊNCIA, PERPLEXIDADE. E eu sei, eu sei, é muito pra se querer. Mas essa pergunta... ela não quer calar, qualquer coisa que eu diga não parece ser suficiente. Não posso, pelo meu próprio bem, mentir e dizer que quero coisas tão pouco importantes mesmo que para muitos elas sejam tudo. Eu quero... CRESCER (DE DENTRO PRA FORA), eu quero FECHAR OS OLHOS E TER TODAS AS MELHORES MEMÓRIAS QUE ALGUÉM JÁ TEVE... São infinitas possibilidades. Eu quero TODOS OS MEUS AMIGOS JUNTOS PARA SEMPRE E QUE NÃO HAJA UMA FAGULHA DE CHANCE DE PERDÊ-LOS NUNCA MAIS. Chego a ter medo das respostas que me surgem...

 e você... o que você quer?

sábado, 4 de julho de 2015

Infinito particular

google imagens


Eu não te vejo mais, mas para mim nada mudou
Aquele olhar... aquele último e único olhar
Significou tudo.
O fim não foi nada
perto daquele olhar.

Isso é o mais interessante da vida
Essa distorção do importante,
Como as coisas mais insignificantes para alguns
podem ser nossa maior lembrança..
Mas não apenas a lembrança
mas também tudo o que ela traz à tona.

A loucura da vida.
A brevidade da vida
Os momentos mais inesquecíveis
de tão surreais...
como aquele olhar.

Eu tentei evitar
E agora ele é o meu infinito particular.

Julho/2015

quarta-feira, 18 de março de 2015

Resumo

           
 

Tudo que a vida me ensinou até aqui eu posso resumir dessa maneira: Tudo acaba, isso não significa que não tenha valido a pena, e a única coisa que eu insisto e quero que permaneça é a  minha essência, nunca devo esquecer-me ou perder-me no caminho das perdas. Nunca posso esquecer quem eu sou.

Naiane Julie

"Torna-te quem tu és" (Nietzsche)

domingo, 16 de novembro de 2014

Lições

                                    
                                                                                                               google imagens


               Falavam sobre a vida e lições que ensinavam um pouco sobre a leveza e o peso. Como podiam saber se nem tinham vivido muitos anos? Isso era inexplicavelmente leve (mas isso elas ainda não sabiam). Era assim naquele dia quente, quando as palavras estavam carregadas de significado e a busca não tinha fim. Sempre souberam o quanto o peso era necessário, era inevitável se queriam essas experiências de sofrimento reformador. A tristeza não era triste, nem o peso verdadeiramente impetuoso, mas não sabiam disso, achavam que era tudo, que não haveria muito mais, apenas porque não sabiam que no futuro haveria lições maiores que o peso, aprenderiam sobre a leveza que de tão leve chega a ser insustentável. O alçar do voo nunca é fácil, é preciso coragem e às vezes é preciso desfazer-se do peso e encarar finalmente a leveza, e a leveza é tão sutil, ela nos acomoda em sua furtividade, nos abençoa com sua superficialidade, até que se torna nossa dona, usurpadora de nossa vida, ela é quem domina até quando quiser. Nem sabiam que aprenderiam o quanto o peso é descarregável e o quanto a leveza é perene.

Naiane Julie
11/2014


terça-feira, 14 de outubro de 2014

Desejos

                
google imagens

              Os muitos desejos da vida nem sempre são constantes. Flutuam entre o idealismo e a vontade de transformação e a impotência e o cansaço, e é exatamente isso que faz os desejos oscilarem. Pensar como a vida é um sonho infinito e difícil de melhorar em tantos aspectos. Isso tudo me lembra uma história que eu gosto muito, ela chama o sonho de Ícaro, mas a minha versão chama o voo da Mariposa*. Ícaro ultrapassou todos os limites, mas esqueceu que precisava de uma cola melhor do que cera. Eu tenho desejos que oscilam. Entre viver a vida um dia de cada vez e não planejar nada, uma vez que nada sairá como planejado, não participar em discussões que a nada levarão, deixar até que me 'roubem a solidão mesmo sem oferecer em troca verdadeira companhia' e entre esse desejo existe outro mais idealista, de escalar uma montanha, de sair destruindo todo e qualquer barulho relacionado a desânimo, não aceitar, mudar, desbravar, “libertar um anjo da pedra”, não permitir a mediocridade nem a quilômetros. 
Mas são apenas desejos que oscilam. 
E hoje, especificamente.... não quero fazer planos.

Naiane Julie

*texto deste blog.



quarta-feira, 25 de junho de 2014

Saudade, mas não simplesmente.



google imagens

            Eu resolvi que hoje é o dia em que eu irei definir a Saudade. Já li essa definição de muitos autores fantásticos, mas nunca escrevi a minha. E apesar disso, já senti muita falta. Depois desse sentir, descobri que a saudade é maravilhosa. É como se o tempo vez por outra me presenteasse com imagens que parecem lidas em um livro há anos, mas sou eu na história, é a minha vida, então eu posso sentir tudo de novo, quantas vezes eu quiser, se eu permitir que o tempo traga todas essas vívidas imagens. Sempre há algo a ser esquecido... Mas há muito a ser lembrado. Tenho saudades especiais por pessoas especiais. Eu as coloquei em um casulo e nada poderá abalar essa imagem, quer dizer, o presente e o futuro especificamente nestes instantes não importam. O que aconteceu está selado e da minha memória e no meu momento de Saudade, não será subvertido. Eu encontrei um jeito de amar a saudade, é quando eu penso que ela traz de volta todo o amor que eu tenho por quem eu não posso mais ver, nem conversar, nem tocar.
Eu preciso da saudade...


Junho/2014

sábado, 17 de maio de 2014

Histórias




Gosto de algumas agonias..
quentes, que percorrem meu corpo.
Como a mentira que nos contam na infância e jamais necessitaríamos
saber a verdade
apenas viver a estória que nos foi contada.
Conte- me a história da sua vida
conte com todos os detalhes
e eu reinventarei a minha,
eu redescobrirei a minha,
agora com todo o aprendizado.

Porque eu sei que tudo é passado
este segundo já é passado
e no meu peito
todas as minhas histórias
são passado.

segunda-feira, 24 de março de 2014

Resgate


Quando olho para o que ficou,  coexiste um sentimento... ingênuo, furtivo. Ele tenta esconder- se de uma necessidade do futuro de mais uma vez sobreviver a ele. São todas as maravilhas de peripécias da alma e de escritas infinitas, tantas pensadas em comparação com as escritas! Algumas vezes ele confunde- me. Não tenho mais certeza se existem tantas razões, e é exatamente neste questionamento que ele aflora e se mistura tanto que já não sei se ele é morno ou quente, ou se ele é passageiro e ingênuo ou dominador e persistente. Geralmente ele deixa-me ser o que sou, ou uma parte do que sou, tranquilamente. Porque algumas vezes eu quero a parte que não é tão profunda, outras vezes quero tanto que ele apareça mas não o encontro no presente e não o vejo no futuro. Então, eu olho para o que ficou e sei que eu não mudei, interiormente...

Naiane Julie

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Segunda chance

   
google imagens

Se eu pudesse destrinchar os universos 
e dizer ao que é reverso:
- Encaminhe- me a uma só luz!

Se eu pudese resistir a tantos versos
esquecer o que é incerto
e sozinho se produz

Eu seria o mesmo ser que tanto vejo
Também com medos e desejos
E quem sabe alguma dor

Mas longe estaria de tantos precipícios
Constantemente a correr riscos
Sem entender qual o valor

Se eu aprendesse a caminhar com a humanidade
Estar alheio à boa vontade
Desagregado do amor

Seria olhos mais fechados
Coração menos dilacerado
Mas incompleto no final

Se eu pudesse, talvez escolhesse
- Exatamente igual.



(Poesia de 2009- Naiane Julie)

domingo, 19 de janeiro de 2014

A espera


 


Esperar é um sofrimento bom - discordo de que seja inerte (esforço- me para que não seja). É como a caminhada do alpinista rumo ao topo da montanha. A resignação. No topo da montanha o céu não é o mesmo. No topo da montanha pode existir um dinossauro, uma clareira posta do céu, uma orquídea não descoberta ou algo que vire uma relíquia. Meu Deus são tantas suposições! E essas intensas figuras mentais empurram- me com força, são intervalos que contêm este gosto- futuro-fascínio e essa espera.... que espreita... que sela.

sábado, 18 de janeiro de 2014

Espelho da alma

                Ele entrou no bar, numa noite fria de setembro, a encontrou entre seus próprios desejos, encobertos por algumas doses de absintho. Ele sentou-se, após passos lentos, no espaço entre espelhos, para enxergar o mesmo ardor que já era seu mesmo antes de se encontrarem, o ardor de quem deseja esquecer completamente para depois lembrar infinitamente.
             Ela disse ainda olhando para a frente: - Hoje é um dia especial e diferente, hoje acordei mais cedo e conseguí por alguns m,inutos olhar-me no espelho... e isso, acredite, mudou tudo...
Após algumas doses, seus medos não eram mais tão fortes, qualquer sentimento forte de alegria ou de tristeza eram turvos e cinzentos, não eram mais impactantes, e então ela pode entregar-se à pouca luz e ao vento, e mesmo aos ventos da alma, pois já não eram mais tão frios.
         Então ele veio com a frase com o significado que paira em toda mente diariamente,
       - Amanhã haverá um novo momento de encarar de olhos abertos as formas, as cores, os movimentos... o reflexo quase idêntico.. no espelho...
 ... e como para se redimir:
         - Mas tudo bem, por que importar-se com o dia que não amanheceu?
            E então ela fixou os olhos em um ponto qualquer e teve medo ao lembrar-se daquele espelho cheio de reflexos de si mesma e do quanto é possível suportar saber a verdade...

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Fábrica



Fábrica - Legião Urbana

..."De onde vem a indiferença
temperada a ferro e fogo?"...

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Alegria na tristeza




Tenho a impressão que compreendo melhor a tristeza do que a alegria, é uma sensação um tanto estranha, mas eu a entendo, eu sei o que ela quer dizer, e é a verdade- e a verdade me inspira. Então, começo a observar o quanto a alegria pode ser falsa e pode ser apenas a tentativa de alegria e de felicidade. Ela é boa, quando é a verdade. Mas a verdade em geral é mais profunda. Dessa forma, existe uma espécie de alegria do esclarecimento nos sentimentos mais intensos e dolorosos. É difícil admitir, eu sei que é difícil aceitar a natureza da vida.

 Naiane Julie

"Torna-te quem tu és."


"A verdadeira escolha, a plena escolha, só pode florescer sob o clarão da verdade."
(Nietzsche)

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Velhos medos



Sinto uma falta eterna
falta de encher a minha alma
com o calor inesgotável, intenso e insuportável dos teus raios de luz.
Sinto uma falta estranha e triste, mas mesmo assim boa
como se algumas coisas apenas você entendesse
e ainda assim.. muitas são mistérios pra nós dois.

Acho que é verdade, 'nadamos tanto e ainda assim encontramos
sempre os velhos medos'
É uma pena a distância ser tão irremediável
mas a falta a transforma numa completa e latente subversão
de todos os meus pensamentos...



segunda-feira, 24 de junho de 2013

O farol




Ora estou acuada e sem contestações,
ora estou defronte a tantas incompreensões
as quais antigamente surpreendiam
meu inquieto coração.
Mas hoje já não temo
nem estimo as ilusões
Alimentá- las me trazia
recursos para poesia
e luz para meu farol.

Quem me dera novamente,
dentro de todos os revés
ter a palavra, a frase certa
para outra vez, com ferro e fogo,
arrancá-las do meu pensar
Colocá- las no papel e sentir
ofuscar
a luz
do meu farol.

domingo, 16 de junho de 2013

A Coisa



google imagens

Existe uma coisa que habita meu peito
agrupa ladrilhos em meio ao desfeito.
Remove montanhas, desfaz o finito, tateia sem tato
constrói o perpétuo com o abstrato

Existe um fascículo do fascínio do presente
da existência infinita de todo universo.
É coisa reversa e às vezes é áspera
por tantas miragens em meio ao deserto

Em meio a coisa, estou benevolente
Por essa mesma coisa sou  manipulada
Sou todas as vertentes que ela construiu
Na imensidão e no nada.

quarta-feira, 29 de maio de 2013

A qualquer hora



Não posso medir a felicidade pela ausência de sofrimento,
seria injusto colocar uma porcentagem e dizer
que isso é felicidade
seria exato demais....
Não posso dizer que felicidade ocorra dependente
do chão que pisamos e das vezes que alegres
ouvimos boas palavras
sentimos um bom coração.
Apenas posso dizer que ainda tento descobrir
como emancipar a felicidade
do meu tenro coração
Dar a ela vida própria
Olhá-la externamente
Personificá-la.
Para depois de alguma maneira fazê-la florescer
sem pressa, sem hora
ou a qualquer hora,
de dentro pra fora.